E Deus levou o Vanderson

20120926-110125.jpg
Bom dia, pessoal…
Queria pedir desculpa por não ter postado ontem. Como tinha dito, estava em semana de provas e numa correria só. E hoje aconteceu algo muito triste. Um amigo nosso que também estava lutando contra um câncer, faleceu. Então estou bem sem cabeça e vou passar o dia na rua, mas amanhã pretendo voltar ao normal por aqui.

Hoje o Vanderson descansou e foi pra glória. O seu corpo estará na capela 6 do cemitério Campo da Esperança às 15h30, o culto será às 17h e o enterro às 18h. Aos que eram amigos ou que querem oferecer apoio, contamos com a sua presença.

Por favor, orem pela nossa amiga Polly, esposa dele, pra que ela seja consolada e confortada. Eles tinham só 4 meses de casados e foi tudo muito rápido. Eu poderia dizer que foi por causa da leucemia terrível, mas não. Acreditamos na soberania de Deus e que a vontade dele foi feita. Apesar de todo o sofrimento, o Vanderson nunca esmoreceu, pelo contrário, a Polly nos contou que o humor dele era uma coisa que contagiava os enfermeiros e colegas de quarto. Sempre cheio de piadinhas, não enfraqueceu sua fé, mas muito pelo contrário, falou de Cristo até o último momento para todos que cruzavam com ele e até um colega de quarto aceitou a Cristo depois de conhecê-lo. Não, meus amigos. Nem a vida, nem a morte dele foram um desperdício! Os amigos dele disseram que ele sempre falava que o seu grande sonho era um dia se casar e Deus não ignorou o seu pedido, pelo contrário, deu de presente uma mulher linda, forte e maravilhosa para estar ao seu lado até os seus últimos momentos. Como não dizer que Deus o amava muito?

Deixo então o salmo 90, que me faz refletir sobre isso, sobre o tanto que essa vida aqui na Terra é efêmera e precisamos fazer valer a pena, não perder tempo com coisas ou motivos que não valerão de nada amanhã. Vamos aproveitar o tempo que ainda temos ao lado dos nossos amados, porque muitas vezes não percebemos, mas essa é uma grande benção! Somos como um sopro e não sabemos do dia de amanhã. Pode parecer meio fatalista o que eu digo, mas lá no fundo vocês sabem que é verdade. Senhor, nos ensina a contar os nossos dias!

“Senhor, tu és o nosso refúgio, sempre, de geração em geração.
Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus.
Fazes os homens voltarem ao pó, dizendo: “Retornem ao pó, seres humanos!”
De fato, mil anos para ti são como o dia de ontem que passou, como as horas da noite.
Como uma correnteza, tu arrastas os homens; são breves como o sono; são como a relva que brota ao amanhecer;
germina e brota pela manhã, mas, à tarde, murcha e seca.
Somos consumidos pela tua ira e aterrorizados pelo teu furor.
Conheces as nossas iniqüidades; não escapam os nossos pecados secretos à luz da tua presença.
Todos os nossos dias passam debaixo do teu furor; vão-se como um murmúrio.
Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos!
Quem conhece o poder da tua ira? Pois o teu furor é tão grande como o temor que te é devido.
Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria.
Volta-te, Senhor! Até quando será assim? Tem compaixão dos teus servos!
Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal, e todos os nossos dias cantaremos felizes.
Dá-nos alegria pelo tempo que nos afligiste, pelos anos em que tanto sofremos.
Sejam manifestos os teus feitos aos teus servos, e aos filhos deles o teu esplendor!
Esteja sobre nós a bondade do nosso Deus Soberano. Consolida, para nós, a obra de nossas mãos; consolida a obra de nossas mãos!”