10 pedidos de todo marido

marido-e-mulher-c4709

Não conheço muito do Renato Cardoso. Sei que ele é conselheiro conjugal e apresenta aquele programa “Love School” ou “Escola do Amor” junto com sua esposa. Sei também que o programa é da Igreja Universal, a qual tenho meus muitos contras e reservas. Mas sei que ele escreveu palavras que consegui visualizar direitinho meu próprio noivo falando pra mim e, no final, achei ótimos os conselhos. Razoáveis, nada que a gente não possa se esforçar pra fazer, né garotas?

  1. Não levante a voz para mim. Sua voz doce surte muito mais efeito.
  2. Se eu não dei razão, não me acuse de flertar com outra mulher.
  3. Vista-se sensualmente só para mim.
  4. Às vezes eu realmente não estou pensando em nada. Acredite.
  5. Pode levar o tempo que quiser para se arrumar, desde que a gente saia na hora combinada.
  6. Não me exponha diante dos outros. Jogue para o nosso time, não contra.
  7. Nunca me deixe ser o último a saber.
  8. Deixa eu te caçar 80% das vezes. Os outros 20% você me caça (gosto de ser caçado de vez em quando também).
  9. Você merece tudo o que tem no shopping center. Verdade. Mas lembre-se que o nosso cartão tem limite.
  10. Vamos deixar de implicar com a tampa do vaso. Se ela estiver para cima, você a põe para baixo. Afinal, quando ela está para baixo, eu a ponho para cima.

Então… Fica a dica!

Fonte: Blog do Renato Cardoso

Dinheiro na mão é vendaval…

Pessoal, tudo bem? Mais uma vez é o Marcos escrevendo! Só que hoje, tentando ajudar no planejamento e organização da vida financeira do casal. É interessante como esse ponto muitas vezes é discutido tão superficialmente quando estamos nos preparando para casar. As vezes há só uma combinação de quem cuida de cada parte e a financeira é só mais uma para alguns.

Eu mesmo pensei assim por um tempo e só fui levado a pensar de maneira mais profunda quando fiz o curso de noivos. Aliás, o curso de noivos prepara muito bem os casais e traz à tona vários tópicos que não seriam discutidos normalmente, mas isso é conversa pra outro dia! Enfim, o que vou escrever é um pouco do que aprendi lá e acho que poderá dar uma noção boa do que virá nessa nova etapa que estamos seguindo.

Bem, começando podemos dizer que a maneira como a pessoa trata o dinheiro diz muito sobre quem ela é, na Bíblia está escrito “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração” (Mateus 6:21). Já dá pra ver que as coisas que valorizamos e nos importamos, onde utilizamos o fruto do nosso trabalho também é importante!

Acho que depois de um tempo, podemos saber um pouco de como você e seu futuro cônjuge tratam o dinheiro, como vivem e quais são os seus hábitos:

  • Egoísmo X Cooperação
  • Orgulho X Humildade
  • Ganância X Generosidade
  • Planejamento X Desorganização
  • Padrões de tomada de decisões
  • Como você lida com os desentendimentos
  • Confiança em Deus X Independência

É muito importante que esses traços sejam conversados (não discutidos!) e que cada um do casal diga coisas que se agrada e defeitos que vê na personalidade do outro. É muito bom saber o que desagrada a pessoa com quem vai passar o resto da vida, e quem sabe fazer ela entender porque você age de determinadas maneiras em alguns casos. Nossa vida financeira é um tópico importantíssimo a ser conversado, e não pode ser deixado de lado. Pense e converse sobre as seguintes áreas relativas às finanças pessoais:

  • Quanto a ter contas bancárias conjuntas
  • Comunhão de bens
  • Quem pagas as contas e concilia bancos?
  • Planejamento financeiro a longo prazo
  • Carreira profissional
  • Aposentadoria
  • Viver dentro do orçamento
  • Investimentos
  • Regime de casamento (universal ou parcial)
  • Seguro de vida

Bem, acho que hoje vocês já tem algumas coisas pra ficarem pensando. Espero ter ajudado um pouquinho. Da próxima vez que escrever continuo o assunto, combinado?

Abraços a todos!

Não se importe com as coisas erradas

“Seja quem você é e diga o que você sente, porque aqueles que se importam não interessam e aqueles que interessam não se importam”.  Dr. Seuss

Essa frase pode parecer meio clichê, mas pra quem está já na luta da organização do casamento, de repente ela começa a fazer muito mais sentido! Sempre que meu tico-e-teco começa a parar de funcionar e eu presto atenção demais naqueles conselhos que a indústria do casamento dá:  “Você tem que fazer desse jeito exato!”; “Casamento TEM que ter isso, senão fica sem graça”; “É só uma vez na vida, divide em trocentas vezes que VAI VALER A PENA”, “A etiqueta MANDA você tararara…”, eu tento lembrar dessa frase acima e sossego. E acredite, se você acabou de noivar e ainda não sabe, você ainda vai ser um tanto pressionada.

Cara, esquece a dor de cotovelo da tia Fulanilda, tenta lembrar do real propósito do casamento. Celebrar a união, o início da família mais linda do mundo – a tua e do teu amor. Quando você coloca isso como o centro, o resto passa a parecer muito pequeno. Faça do jeito que você realmente sonha, realmente quer, dentro das suas possibilidades e colocando o pé no chão porque ninguém merece começar a vida de casado com saldo negativo no banco. Gente pra reclamar e botar defeito, infelizmente sempre vai ter. Quem ama vocês dois e quer ver vocês felizes realmente não vai se importar com as condições de uma festa, vai ficar feliz com a vitória de vocês, independente das situações. E é com essas pessoas que você tem que se importar. O resto, flor… É resto!