Onde vamos nos casar – Parte 1

Desde o início do meu noivado, eu tive o desejo de fazer esse blog pra poder contar às pessoas tudo que eu e o Marcos estávamos e estamos passando, queria contar todas as bençãos que recebemos de Deus desde que ele começou o tratamento contra o câncer e dizer que vale muito a pena, mesmo com todos os “mas”, amar e ser amado de volta. Ainda que a enfermidade venha, é melhor serem dois do que um só.

Villa Regia

Hoje vou falar sobre uma das bençãos que acho que foi das maiores e mais lindas pra mim e que mais me deixa emocionada e encantada com o amor de Deus. Por que? Porque Ele atendeu um sonho que até eu tinha me convencido de que era alto demais. Ele não ignorou meu choro e minha insatisfação. E ao decidir que deveríamos adiar a data do nosso casamento aos prantos, mal sabia eu que Ele estava preparando algo muito melhor do que o que eu tinha pedido ou sonhado. E desculpa se eu falar muito de Deus, mas é porque Ele é um dos personagens mais importantes dessa história mesmo. (:

Bem, meu sonho a vida toda foi casar ao ar livre. Muito antes de ser moda aqui no Brasil, quando eu ainda era bem pequetita. Aquele casamento lindo, com muito verde, uma festa bem gostosa e aconchegante depois… Até barulhenta. Nada muito chique, sem baladas super, músicas da moda e decorações mirabolantes. Gente alegre, rindo, feliz, eu e meu noivo transbordando alegria e curtindo muito a festa com os que amamos, sem aquela seriedade de ficar cumprimentando todos em fila e sorrindo toda hora pras fotos. Minha idéia do meu casamento era bem simples e romântica, mas fixa. Nunca tinha pensado em casar em igreja. Nunca senti um pingo de vontade de casar nesses salões chiquérrimos e majestosos que vemos nos filmes e etc .  Meu sonho era um só e pronto.

Villa Regia

Quando fomos aos preparativos, não tínhamos muito tempo, nem dinheiro pra fazer um casamento ao ar livre. Se fizéssemos, seria um miníssimo mini wedding, porque só assim pra gente conseguir pagar. Mas a nossa lista de pessoas “indispensáveis” era imensa, simplesmente não tava cabendo. Além de que eu não queria decidir todos os mínimos detalhes da recepção sozinha, com o Marcos em tratamento lá em SP… Era deprimente demais! E foi aí que decidimos juntos simplificar as coisas: casar numa igreja grande pra ter a lista de convidados livres e aí só distribuir bolo e bombom. Daí pronto. Começamos a luta pra procurar a igreja evangélica que concordássemos com os valores (porque existem igrejas evangélicas e igrejas evangélicas, né meu povo?) e que luta foi essa! Tudo dava sempre quase certo ou muito errado. Sempre tinha algum porém. Ainda vou escrever sobre isso aqui, pra dar as dicas pra quem tá seguindo por esse caminho. Mas cada vez que algo dava errado era eu chorando pelos cantos de novo – por falar nisso, chorar é algo que tô fazendo bem feito nesse tempo de noivado. hahaha

O que eu sei é que toda vez que as coisas voltavam a se encaminhar, eu ficava me condenando: lutamos tanto por isso… Por que eu não tô feliz? Por que continuo triste, insatisfeita? E quando eu deitava pra dormir, com o que que eu sonhava, hein? Com o meu casamentinho lindo lá, ao ar livre. Quando acordava lá vinha de novo a vontade de chorar: “tá tudo errado”!

Villa Regia

Até que eu um dia o Marcos teve uma recaída lá em São Paulo e passou bem mal. Eu, chorando desesperada, fui bem sincera com Deus e me lembro bem do momento em que eu disse algo mais ou menos assim: “Paizinho, eu aceito que eu não vou ter tudo que eu sonho. Eu que tô sendo egoísta mesmo de querer uma coisa que não podemos e tô com expectativas muito altas. Me perdoa pela minha ingratidão, a única coisa que eu quero e me importo é com a saúde do Marcos… Se o Senhor curá-lo, eu juro que não me importo de casar num barraco bem terrível. Eu só quero ele, eu só quero ele sendo a minha família, a família que eu sempre sonhei. Quero casar com ele, ter filhos com ele, envelhecer com ele. Por favor, Pai… Me dá esse milagre, eu não aguento mais tanto sofrimento”. Contei pro Marcos da minha mudança de postura e ele se alegrou muito, acho que tirou um peso dos ombros dele, aquela cobrança de “não vou poder dar o casamento dos sonhos pra minha noiva”. Alguns meses depois, o Marcos não melhorou como esperávamos e tivemos que adiar o casamento. Apesar de não ser a melhor notícia do mundo, sentia que Deus já tava nos preparando pra isso há muito tempo, só precisávamos aceitar.

Até então, o meu lugar preferido de Brasília era o Espaço Renascença, aquela árvore da Pocahontas ao fundo era tudo o que eu mais queria. Quando fomos lá conhecer pessoalmente, que decepção… Não sei como, mas nas fotos parecia ser tão maior! O local era um ovo e as fotos e a decoração valorizavam bastante. Ali, naquele dia, vazio e sem nada eu só ouvi um “wé wé wéunnn” ao fundo. Mesmo assim, ainda tinha boas expectativas. O cara que nos recebeu falou que era normal não gostar com o salão não decorado, que o ideal seria a gente ter ido antes de algum casamento, pra ver tudo lindo. Na hora de fazer o orçamento, aí que foi o wé wé wéun de todos os tempos. Tínhamos decidido que se gostássemos faríamos um esforço pra pagar a locação, que na época girava em volta de R$6.000. Só que com o serviço de decoração exclusiva, o troço magicamente pulou pra mais de R$30.000 , isso com a decoração mais simples e sem graça possível (oi?). Gente… Fico suuuper feliz por quem pode e consegue casar lá. Lá é lindo. Mas pros pobres de marré, isso é um tanto surreal. Saímos de lá sem precisar comentar muito um com o outro. Tava na cara que o “no way” era unânime.

O famoso flamboyant aka árvore da Pocahontas

A cada visita e pesquisa, mais minhas esperanças iam embora! Ou o lugar era caríssimo, ou era barato mas com serviços exclusivos que compensavam qualquer economia, ou era descuidado, ou era feio, ou não cabia nossos convidados…

Até que um belo dia… Eu conto amanhã, em comemoração ao meu aniversário! Só porque eu quero que vocês voltem aqui amanhã pra me dar parabéns (tô carente). hehe

Anúncios

14 pensamentos sobre “Onde vamos nos casar – Parte 1

  1. Que lindo, estava lendo e quase chorando…sou chorona. Parabéns pela sua garra e acima de tudo pela Fé inabalável que vcs tem. Saiba que o seu casamento será lindo Pq vcs já tem o principal que é o amor e Deus a frente de tudo.

  2. Own, pra mim, esse foi o melhor post de todo o blog! Muito lindo ver como Deus guia toda a nossa vida para coisas maiores do que a gente pode imaginar e a gente, na maioria das vezes, nem se dá conta disso, ou nos damos conta só mais na frente. (:

  3. Aii, que lindooo! Me senti vc em alguns momentos! kkkk… Especialmente na parte do “chororô”… Sofri demais qnd tive de mudar minha data! Mas mudei e hj estou super tranquila! Tb gosto muito do Espaço Renascença, qnd fui lá continuei gostando mesmo s/ decor, mas Deus me deu um “toque” de não ficar bitolada, querendo só aquele lugar, pois algo melhor poderia surgir e foi o que aconteceu! Amanhã eu volto pra ler o resto! Vc está uma profissional em nos deixar curiosos, hein, dona Rafaela?! kkkk… Bjs

  4. Oi Rafa, olha eu aqui de novo menina, quase chorei de novo, é lindo ver que DEUS sempre sonha com a família, sempre que vou em casamentos de conhecidos, vejo DEUS agir no impossível, porque ELE quer e deseja formar uma família, então Rafa confia que quanto mais a gente pensa que é impossível DEUS age, ELE sonha e nos permite sonhar com ELE.Beijos linda…detalhe todo dia to seu blog, amo ele desde que o Tiago me apresentou.

  5. Pingback: Onde vamos nos casar – Parte 2 | Toda Noiva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s