A saga do meu vestido – parte 1

Então, pessoal! Hoje vou contar como é que foi pra encontrar o meu vestido e depois falo de todos os fornecedores que recomendo visitar por Brasília! Como a história é meio longuinha, vou dividi-la em duas partes pra não cansar vocês.

Eu, como boa e velha perdida romântica, sempre idealizei aquele momento magiaaa que a gente vê nos filmes e nos seriados do Discovery Home & Health. A menina prova o primeiro, prova o segundo, até que de repente, com um dos vestidos, ela se olha no espelho e tcharammm: sobe aquele arrepio, ela começa a chorar e fala “‘É esse, com certeza é esse”. Sabe? Aquela experiência sobrenatural que quem tá de fora não entende, mas que a noiva explica que simplesmente era pra ser e que não foi ela que encontrou o vestido, mas o vestido que a encontrou. Blablablá.

Nossa, quando eu comecei a minha procura, fui super em busca dessa emoção gigante, eu queria porque queria sentir aquele arrepio que minhas amigas casadas falaram que sentiram ao encontrar o vestido delas. Você já deve estar percebendo que não foi bem assim, né? Pelo menos não tão fácil.

Primeira loja que fui eles já perguntaram qual tipo de corte eu queria e eu “hã?”. Falei que não tinha muita regra, o único que eu não queria de jeito nenhum era o corte ######## (não vou falar qual porque é claaaro que no fim das contas foi um com esse corte que eu escolhi, só pra morder minha língua. hahaha). Não chorei nem nada ao me ver de noiva, diferente do que eu tava esperando. Provei todos, achei uns 3 bens lindinhos, mas ah, ainda não! Pensei “Cara, se na primeira loja de esquina eu já amei 3, com certeza nas próximas eu encontro”. Ledo engano, eu fui em praticamente todos os atelieres de Brasília. Rua das noivas da Asa Norte (que fica na 304/305), Lago Sul, Guará, Taguatinga… Sempre chegava na loja, falava quais estilos que eu achava bonitos e quais que eu não queria de jeito nenhum. Saía com um ou dois preferidos de cada loja anotados na minha pasta e minha cota de desânimo só aumentando.

Enquanto isso, o Marcos lá em São Paulo no meio do tratamento de radio (que quem nos acompanhou sabe que não foi nada fácil), a saudade apertando e a dor dele não estar compartilhando os preparativos por perto, comigo… Até que um dia no meio de uma das lojas eu comecei a chorar. Porque encontrei meu vestido? Nãoooo, porque não aguentava mais! Orei tantas vezes pedindo pra Deus pra sentir aquela emoção, mas já tava chegando à conclusão de que talvez as minhas expectativas que estavam altas demais. Minha mãe desmontou de vez quando me viu chorando e vi que ela também tava triste por isso. Nosso dinheiro não podia pagar um vestido feito por encomenda, nem o vestido que eu desde o início tinha sonhado, que era o Aglaya da Elie Saab. Minha mãe chegou até a falar uma hora, no desespero, que pagaria um encomendado e eu tive que recusar. Sabia que era de coração mas que pela razão ia quebrar minha casa. Eu não podia ser tão egoísta de simplesmente passar por cima da realidade. rs Por falar nisso, não posso deixar de dizer que minha mãe foi uma santa nesses dias, porque eu estava tão sensível e irritada que eu só dava patada e ela na maior paciência do mundo. <3
Falei pra minha tia linda Madna Ney, que era cerimonial mas estava afastada, da minha dificuldade e ela foi com a gente visitar algumas lojas. Foi aí que eu vi a diferença de se ter um bom cerimonial do nosso lado (nós fomos os mais abençoados e ganhamos dois cerimoniais maravilhosos, mas isso eu conto em outro post!). Cara, era só minha tia abrir a boca que eles davam desconto pra gente. Vi também que não era à toa, ela realmente era muito querida pelos fornecedores.

Aglaya, de Elie Saab para Pronovias

Até que chegou o belo dia em que eu falei pra minha mãe, pra minha irmã e pra tia Madna “Hoje vamos na última loja. Se eu não gostar de nada, vamos rever as duas lojas que estão com o meu TOP 3 de vestidos, vou prová-los de novo (porque de tanto vestido que provei, nem lembrava mais como eram os outros, só do tanto que gostei) e o que eu preferir vai ser o escolhido. Essas lojas eram a Duquesa Noivas da 305N e a Neimar Sinicio. É bom ressaltar que desses meus vestidos preferidos, um não tinha absolutamente nada a ver com o outro. Nem tecido, nem corte, nem cor. Pra vocês verem a minha confusão. Pra variar, fomos nessa loja e nada, depois na Duquesa e por último na Neimar. Quando provei o vestido da Neimar, falei “Tá, é esse o meu preferido dos 3, pode fechar”. Nisso, quando viro pra trás, tá a minha mãe com um bico imenso e falando que não queria que fosse assim… Eu fechando toda irritada, “chatiada” como tão dizendo por aí. hahaha

Amanhã bem cedinho eu posto a Parte 2!

(Por favor voltem, senão vou sentir que minha história só é linda pra mim mesmo. rs)

Anúncios

24 pensamentos sobre “A saga do meu vestido – parte 1

  1. Rafaela,
    Conheci o Marcos no Ícone, quando estudávamos no Ensino Fundamental ainda.. rs..
    E vendo a história de vocês, tenho certeza que Deus tem muito mais pra realizar na vida dos dois!
    Você é uma mulher de Deus, por estar sempre do lado do Marcos e sempre fiel em tudo o que acredita. Admiro muito vocês dois!
    Ah! E estou adorando acompanhar o seu blog!
    Estou também na corrida rumo ao altar e sei bem como é tudo isso… rs..
    Chorei também ao sair de uma loja de vestidos, mas graças a Deus encontrei o meu lindo vestido branco em uma loja de Taguatinga! Hoje faltam 72 dias para o meu casamento e sinto de verdade que Deus está no controle de tudo.
    Mas… vamos combinar que foi uma brincadeira da sua parte parar a história pela metade né!? hehehe.. =P
    Amanhã estarei aqui novamente!
    Beijocas e que Deus continue abençoando vocês!

    Raíssa

  2. Ai, que legal! Bom, tb me falaram que o vestido encontra a noiva, mas até hj o meu vestido não me achou! kkkk… Eu experimentei em alguns lugares; quando vesti o primeiro amei, e aí conforme eu ia experimentando tb ia gostando dos outros vestidos! Mas não fechei nada! Não achei o vestido “perfeito”! Como adiei minha data, terei de começar a olhar tudo de novo, espero encontrar um vestido do qual eu não me arrependa! Só tem um problema: eu sou perfeccionista! kkkk… então, isso significa que terei uma longa jornada atrás do vestido ideal. kkkk…

    • Mady, eu também sou super detalhista e perfeccionista, mas pede ajuda pra Deus de coração aberto que ele te ajuda! Quando que vai ser o teu casamento? Vou tentar fazer uma lista das lojas que mais gostei e algumas dicas. Daí coloco no blog pra ajudar você e as outras noivinhas. Pelo menos dessa saga uma coisa eu consegui bastante que foi experiência. Tô super entendida! hahaha

      • Na verdade, essa fase dos preparativos nos ensina tantas coisas! E uma delas é aprender a confiar em Deus e a depender dele! Pois Ele é o maior especialista em realizar sonhos! E quando estão de acordo c/ a vontade dele, então, esses sonhos são bons, perfeitos e agradáveis!!! Bom, eu quero as dicas, é só postar que a gente lê! =)

      • Pois é exatamente o meu caso, mas não tinha ele quando fui experimentar! Na verdade, não tinha quase nenhum dos modelos que eu queria do Elie Saab, La Sposa, St Pratick… fiquei decepcionada! Sabe que durante esse tempo eu mudei um pouco meu gosto! A gente se engana muito! Nem sempre o modelo que amamos é o que vai ficar perfeito em nós, por isso devemos ir a vários lugares e experimentar vááários modelos!!!

  3. Minha linda, vestido de noiva e como fizesse parte de nos mesma,e lindo e vc ficara mais linda,vc e marcos merecem toda esta felicidade sim, e aqui nos torcemos muito por vcs,Fique com Deus, beijao

  4. O meu vestido também não tem nada a ver do modelo que eu gostava, sempre falei que não queria um vestido daqueles, mas quando experimentei pensei: “É esse !” Detalhe: aluguei ele na primeira loja que entrei e depois de experimentar 3 outros modelos que já tinha visto em revistas antes, mas não ficaram bons. Minha mãe pôde ir comigo, minha irmã que foi e gostou. Tirei foto pra minha mãe ver e ela não gostou. Depois voltei na loja com meu pai para escolher a roupa dele e vi um vestido rendado lindo, voltei no mesmo dia com minha mãe e irmã e experimentei o meu e o outro. Não gostei do outro e fiquei com o meu mesmo. Não se preocupe, vc vai achar o seu vestido. =)

      • Minha mãe até falou pra eu ir em outras lojas e ver outros vestidos, mas quando eu olhava na vitrine lembrava do meu vestido. Foi amor a primeira vista *-*. Acabei de ler a segunda parte da sua história, muito linda. E realmente Deus sempre está na frente no nosso casamento, desde os preparativos até a vida a dois. O meu será dia 10/11/2012, desde já peço a Deus todos dias para iluminá-lo. Fica com Deus ! Gosto muito do seu blog, vou visitá-lo sempre.
        Beijos !

  5. Parece novela…acabou no momento chave da história!!
    To doida pra saber o resto, porque assim como você, também não consegui me emocionar por nenhum até agora…
    Quero ver logo sua história, pra eu sentir esperança!!
    Porque às vezes acho que não encontrarei e também não tenho dinheiro para encomendar…
    Espero a segunda parte!
    =]

  6. Pingback: A saga do meu vestido – parte 2 | Toda Noiva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s